top of page

Residência Artística - Casa Daninha

Atualizado: 12 de jul. de 2021

Casa Astral segue aberta com apoio do #clubeastral para receber artistas, educadores, produtores que estejam buscando um local para desenvolver projetos e ações.


Recentemente quem chegou foi Guilherme Allain com a proposta da residência CASA DANINHA que inclui atividades abertas ao público e se inspira e deriva da experiência intensiva e continua de troca e aprendizado do artista com o Centro em Movimeto (c.e.m) - Lisboa.


SOBRE O PROJETO

Partindo do entendimento de que criação é potência inseparável da

existência, brota o convite a praticar uma dinâmica de investigação

artística, através da reinvenção de paisagens cotidianas e do saborear

de diferentes linguagens (dança, escrita, fotografia, registros sonoros,

caminhadas e o que mais quiser aparecer).


O trabalho de residência deseja criar, junto aos participantes,

tempos-espaços onde saberes são praticados e compartilhados, sem

hierarquias, linearidades e sem respostas.

o que move é a pergunta. e movendo por elas acredita-se vivenciar

outras perspectivas de invenção da realidade e de relações com as

diferenças.





PROGRAMAÇÃO ABERTA AO PÚBLICO


---- co-criar----

(espaço compartilhado de criação)

Laboratorios para criar junto.

cada um com seu material, materiais que se

encontram. trocas, aprendizados.

convite a co-habitar um espaço em um

compromisso com a criação.

criar espaço para criar corpo-criação.

experimentar a companhia do outro como

estimulo, fortalecimento e suporte.


(espaço compartilhado de criação)

segundas e quartas - das 15 às 16h30

encontros na casa astral


---- estar-ler-conversar com livros ----

(práticas de leitura em grupo)


experimentar a imprevisibilidade do

encontro. ler acompanhados pela leitura, pela

musicalidade das palavras, pela fisicalidade do

corpo que existe, pela conversa e negociação

constante com o lugar e os outros seres que ali

co(m)existem.

o que é ler? na partida leitura era reconhecer

a escrita de palavras. logo foi ler uma

encruzilhada de afetos. deslinearizar e

desescolarizar a prática. ler de forma inútil.

deixar a atenção estar onde ela quiser

estar. também estar juntos, e estar juntos

ajardinando a porosidade que esse encontro

pede.

ler em voz alta aqui é muito próximo do

escutar. reconsiderar o lugar do leitor... abri-

lo considerando o leitor como potência de

escuta, de relação..


(práticas de leitura em grupo)

às segundas - das 17 às 18h30

partida da casa astral


---- corpo-rota ----

através da prática de caminhadas e paragens

os participantes são convidados a entender

o simples gesto cotidiano como potência de

criação de um novo corpo.

o que é um caminho? na insistiência de um

percuso, o caminho é o mesmo?

a ideia é não fixar

a criação do corpo-rota é experimentar um

estado de corpo que se cria no caminhar com

os lugares. o caminhar aqui é considerado não

linear, exercita a disponibilidade ao encontro,

ao não-saber e propõe uma forma sensitiva e

experiencial de se relacionar com a cidade e

seus afetos. não é sobre passar pelos lugares.,

mas estar com eles.

(práticas de caminhada sensitiva)

às terças - das 15h às 17h30

partidas da casa astral


----perguntas de corpo----

compartilha com espaço de documentação

um convite a experienciar o corpo enquanto

acontecimento. pensar no corpo do hoje, do

agora. abrir espaços de silêncio que permitam

escutar o desejo do corpo de ser corpo, do

movimento de ser movimento.

práticas de dança e movimento para

reconhecer, para desentupir.

(práticas de dança e movimento)

às quartas - das 17 às 18h30

encontros na casa astral


----- pousos de escrita -----

um encontro com a escrita. o convite propõe

uma prática de escrita livre, com espaço para

que a escrita seja e revele o que ela quiser.

a atenção aqui é para não aprisionar o escrever

em uma ideia ou forma preconcebida.

nos pousos (que acontecem na rua,

nos espaços da casa astral, em casa) os

participantes são convidados a praticar a

escrita que é entendida como um exercicio

de se deixar afetar, de conversar com

o acontecimento, com o espaço, com a

fisicalidade do corpo que escreve. se permitir

aceitar e estar com a atenção em seu estado

viajante; fluída, dispersa.

(práticas de escrita livre)

encontros às quintas - das 15 às 16h30

encontros na casa astral


---- presenças performativas ----

o que é uma presença performativa?

o que é performatividade?

convite a experimentar, a partir de

provocações, situações onde se está junto,

atento ao que pode ser essa qualidade de

presença performativa. considerar uma forma

de estar que conversa com o espaço, com

quem está junto e com quem observa.

não é sobre fazer para ser visto, mas entender

um fazer presença que comunica.

(laboratório de performance) às quintas - das 17 às 18h30

encontros na casa astral


**A ação é independente e teremos caixinha para CONTRIBUIÇÕES POSSÍVEIS ao artista.


** Essa Abertura da Casa é uma contrapartida a recursos recebidos da Lei Aldir Blanc 2020 - Inciso 2 - Através da Prefeitura do Recife



SOBRE O ARTISTA

Guilherme é recifense, com alguns anos também vividos em

frança e portugal, percorre estudos e experiências profissionais

pela comunicação, sociologia, mundo associativo, economia

social e solidÁria, educação popular e artística. Movido

pela pergunta do que é ser corpo-cidade-comum, caminha

em investigação artística junto ao c.e.m desde maio 2019.

Tem escutado com maior atenção o brotar de ervas como

indicadoras de poesia e potência. Dança para aprender com o

corpo a experiência de ser vivo.






53 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo